ImprensaNotícias

Revolta em Palmas: Dilma e Kátia proíbem população de participar de abertura oficial de Jogos Indígenas

 

Cartaz Kátia e DilmaA abertura dos jogos Mundiais Indígenas deveria ser uma festa para a população de Palmas , mas os moradores da capital de Tocantins acabaram barrados. Por determinação da Casa Civil, foi construído um muro em volta do hotel onde será realizada a reunião do MATOPI (Maranhão, Tocantins, Paraíba e Bahia), parecido com o que foi colocado na Esplanada dos Ministérios durante as comemorações do 7 de setembro.

O novo muro da vergonha, mais uma vez para proteger Dilma de possíveis protestos e vaias da população, deixou a população de Palmas revoltada, já que ela ficou excluída das festividades.Dilmentira Palmas o que era e o que foi

A polêmica acompanha o evento desde o início das obras da Raia Olímpica Taquaruçu-Grande, orçada em R$ 100 milhões,  valor este já liberado pelo Ministério dos Esportes. O problema é que a obra não ficou pronta a tempo, sem que se saiba o destino dado à verba.

O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou diversas irregularidades na realização do complexo que inclui a Raia Olímpica, mas nada parece ter inibido a vontade de comemorar das autoridades envolvidas. Só convidados selecionados têm passe livre para shows com artistas populares, em que a população fica de fora.

Dilmentira em Tocantins Jogos Indígenas PalmasO acesso à Raia Olímpica foi restrito a cinco mil convidados escolhidos a dedo pelo prefeito de Palmas, Carlos Henrique Amastha (PSB) e a ministra da Agricultura, Kátia Abreu.

ATAÍDES DE OLIVEIRA NÃO VAI EM SOLIDARIEDADE AO POVO

Inconcormado com todo esse aparato da segurança presidencial, o senador Ataídes Oliveira, presidente do PSDB Tocantins, protestou em seu perfil no Facebook: “Impedir o acesso do povo à abertura dos Jogos Mundiais Indígenas é inaceitável! É um desrespeito não só aos moradores de Palmas, mas à própria cultura e tradição de todos os povos indígenas. Isso sem falar que é a própria população que está pagando a conta desse evento. Mais uma vez esse governo mostra como está completamente isolado da sociedade. Diante disso, em solidariedade a todos os tocantinenses excluídos dessa festa, resolvi não participar da abertura oficial dos jogos. A todos os atletas, do Brasil e do exterior, o meu respeito e os meus parabéns”.

O POVO NÃO PARTICIPA MAS PAGA A CONTA …

Índio fazendo mira no cartaz Kátia e Dilma em PalmasPara Cinthia Ribeiro, presidente do PSDB Mulher do Tocantins: “Chama atenção o clima de guerra. Trouxeram polícias de outros Estados da Federação, não confiaram na daqui. Fico pensando em quanto terá custado essa brincadeira, quanto terá custado esse aparato para deixar de fora os verdadeiros convidados: o povo que pagou por essa festa linda?”.

Cinthia lembra que não se justificam os R$ 100 milhões que estão sendo gastos na realização do evento em Tocantins.

Cinthia Ribeiro também lamentou a ausência da participação da população na abertura dos jogos: “A população de Palmas, cidade-sede dos jogos mundiais indígenas, não poderá ir na abertura porque a presidente Dilma tem medo de manifestações, instalaram um telão no centro da cidade para quem quiser acompanhar a transmissão simultânea da solenidade de abertura dos jogos. Esquece a presidente, e os organizadores que o dinheiro é público, resultado dos altos impostos que pagam os brasileiros”.

Confira o muro no vídeo: