ArtigosImprensa

São Paulo e a voz pioneira pela igualdade”, por Nancy Ferruzzi Thame

Nancy Ferruzzi Thame“Foi muito gratificante ver, nesta semana que passou, as mulheres com quem interagimos em grupos temáticos, seja em reuniões, seja nas redes sociais, manifestando-se sobre o voto contrário de parlamentares, abstenções a ausências no dia em que a cota para mulheres nos parlamentos entrou na pauta do Congresso Nacional”
São Paulo, estado pioneiro na organização de mulheres em torno das conquistas de gênero deu mais um passo para o avanço nesta questão com o anúncio feito pela USP de que passa a integrar o movimento internacional HeForShe. Aqui, ElesPorElas certamente logo terá sua embaixatriz, como no âmbito global a jovem atriz Emma Watson tomou para si a defesa da igualdade de gêneros. Nosso desejo é que tenhamos em São Paulo e no Brasil muitas vozes ecoando esse discurso, de homens e de mulheres. Na política, nosso Secretariado estadual, alinhado com o nacional, busca a adesão de políticos, administradores públicos, especialistas em diferentes áreas, formadores e disseminadores de opinião.
Nosso trabalho nas bases é com as novas lideranças, as que estão nas comunidades, em todo o estado, na sociedade civil, mulheres que emponderamos por meio do conhecimento. O que o PSDB Mulher busca é incentivar o exercício da política e da cidadania com opinião. Isso não somente dentro do partido, mas sobretudo fora, onde se constrói a participação para além do voto. Queremos contribuir para a democracia, formando massa crítica. Incentivamos mulheres a atuar na política e a votar de forma consciente. Foi muito gratificante ver, nesta semana que passou, as mulheres com quem interagimos em grupos temáticos, seja em reuniões, seja nas redes sociais, manifestando-se sobre o voto contrário de parlamentares, abstenções a ausências no dia em que a cota para mulheres nos parlamentos entrou na pauta do Congresso Nacional. O assunto perdeu na Câmara dos Deputados, mas ainda vai ao Senado. E lá estão elas, nos grupos, identificando posições e votos dos parlamentares a favor ou contra. Se são suas eleitoras, contatam-nos para cobrar uma resposta, uma explicação ou para agradecer o “sim”.
Nós, as mulheres paulistas, temos muito orgulho de suceder as grandiosas que vieram plantar as sementes, que desbravaram esses caminhos, tão logo o Brasil adentrava o período da democratização. Daqui deste estado saíram modelos para o mundo, como o das delegacias da mulher. Programas sociais encabeçados pela antropóloga Ruth Cardoso, que sempre será um exemplo para nós nas lutas por gênero e pela igualdade, foram gestados nesse efervescente meio de debate de políticas públicas. É por isso que, quando ouvimos discursos em favor da nossa bandeira, “vocês precisam do enfrentamento para ocupar seu espaço na política” entendemos que uma batalha perdida não dá por encerrada esta história. Pelo contrário. Estamos só no começo e o Brasil é um país jovem, de democracia recente, como todos na América Latina. Temos muito o que aprender, o quanto nos politizarmos para obter conquistas maiores que virão. Mas é preciso humildade para aprender e coragem para empreender. Quero convidar a todas e todos dispostos à transformação que a política pode promover pela democracia para estar conosco. ElesPorElas, nós por todos e todos por um país melhor.
*Nancy Ferruzzi Thame é presidente do PSDB-Mulher SP