EntrevistasImprensaNotícias

PSDB Mulher de Alagoas incentiva participação feminina na eleição de 2016

Foto: George Gianni/PSDB
Foto: George Gianni/PSDB

Foto: George Gianni/PSDB

Por Eliane Aquino

Conversei hoje com a nova presidente do PSDB Mulher de Alagoas, Adriana Toledo, eleita no último domingo, 7, sobre a PEC que defende a garantia de vagas para a mulher no parlamento.

Segundo ela, a medida fortalece a democracia e acelera a participação da mulher nos espaços de poder político e partidários.

Adriana me disse que nos parlamentos onde há uma maior presença feminina, as políticas públicas são mais eficientes, os serviços públicos melhores e o nível de corrupção bem menor. Em sua avaliação, apesar de todas as vitórias da mulher, a história ainda assegura ao homem a maior fatia no espaço político eleitoral.

“As cotas então viriam para reparar essa lacuna. Considerando que 90% das cadeiras do Congresso são ocupadas por homens, seria então uma forma de aceleramos o processo de acesso das mulheres aos parlamentos brasileiros. Lembro também que muitos países desenvolvidos, cuja democracia apresenta-se consolidada, aplicaram a política de cotas para mulheres. É claro que o espaço político ainda é um espaço muito machista. A prova disso é a baixíssimo apoio dado pelos parlamentares a PEC24/2015”, enfatizou.

Ela também me falou que o PSDB Mulher de Alagoas pretende incentivar a participação feminina nas eleições em 2016 em todo o estado.

“Destaco que hoje temos grandes representantes tucanas que estão dando show nos seus mandatos como é o caso da Prefeita Pauline Pereira (Campo Alegre), uma das gestoras públicas mais bem avaliadas do país. No campo legislativo podemos destacar a atuação da Vereadora Tereza Nelma na Câmara Municipal de Maceió”, exemplificou.

Segundo Adriana, O PSDB  tem “excelentes quadros” femininos, todos capazes de disputar e de exercer mandatos que honram o partido e Alagoas. Citou, como referência, Solange Jurema, presidente do PSDB Mulher nacional e ex-ministra da Mulher no governo de FHC.

Para ler a íntegra clique AQUI.