ImprensaNotícias

Dia Mundial da Educação e as lições que SP tem para compartilhar

Neide Pereira Silva, conta sua Historia de superação EJA. Data: 07/04/2015. Local: São Paulo/SP. Foto: Du Amorim/A2 FOTOGRAFIA
Neide Pereira Silva, conta sua Historia de superação EJA. Data: 07/04/2015. Local: São Paulo/SP.  Foto: Du Amorim/A2 FOTOGRAFIA

Neide Pereira Silva, conta sua Historia de superação EJA. Data: 07/04/2015. Local: São Paulo/SP.
Foto: Du Amorim/A2 FOTOGRAFIA

Hoje, quando se comemora o Dia Mundial da Educação, certamente as notícias nem sempre serão as melhores. Afinal, o Brasil ainda está distante da realidade ideal de inclusão da população e, atualmente, por conta da gestão do atual governo federal, não tem somente descumprido metas e promessas, tem causado prejuízos a quem estuda e conta com o financiamento púbico para tal. Porém, aqui em São Paulo, há motivos de sobra para comemorar. As creches, o ensino fundamental e médio, a formação superior recebem atenção de um governo que enxerga na educação uma prioridade. Queremos que você conheça melhor os programas e projetos para a área da Educação do governo Geraldo Alckmin, contada por meio de histórias de gente como a Neide Pereira da Silva, que aos 45 anos não desistiu do seu sonho e encontrou o caminho para ele no programa Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A aluna Neide Pereira Silva, da E.E João Cavalheiro Salém, localizada no bairro Cumbica, resolveu se debruçar nos livros novamente com 45 anos de idade. Atualmente cursa o último ano do Ensino Médio e já escreve novos sonhos. “Vou terminar agora o 3º ano do Ensino Médio e pretendo chegar a uma faculdade. Fiz o vestibular, passei e estou correndo atrás daquilo que eu acredito, dos meus objetivos”, conta.

Percebendo a disputa acirrada para conquistar um lugar no mercado de trabalho, Neide Silva se apegou  a este desafio. “Hoje o mercado de trabalho está exigente, exige uma formação, uma qualificação profissional. Eu entendo que se a gente não estudar não vai ter um bom salário, além de ter a oportunidade de contribuir para a sociedade”, explica.

Depois deste retorno, ela  já comemora as primeiras conquistas que ocorreram dentro da sua própria casa. Neide Silva diz que conseguiu estabelecer um diálogo com as filhas. “Eu tinha dificuldade de ajudar as minhas filhas nas tarefas da escola, parecia que falávamos em  mundos diferentes. Hoje a gente conversa, fala a mesma língua, é muito bom”, conta.

 Fonte: /Impresa PSDB-Mulher/SP e Site da Secretaria de Estado da Educação