ImprensaNotícias

Bancada feminina do PSDB quer debater efeitos decorrentes do uso de anticoncepcionais

Da esquerda para direita: Shéridan, Geovânia, Mara, Bruna e Mariana no dia da posse como deputadas federais, em fevereiro.

Da esquerda para direita: Shéridan, Geovânia, Mara, Bruna e Mariana no dia da posse como deputadas federais, em fevereiro.

A bancada feminina do PSDB na Câmara solicitou, nesta semana, a realização de uma audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família, para debater a prescrição e os efeitos decorrentes do uso de anticoncepcionais hormonais.

A ideia surgiu em novembro do ano passado, quando a deputada Mara Gabrilli (SP) foi procurada por Carla Simone Castro e Simone Vasconcelos, duas mulheres que sofreram graves consequências pelo uso de anticoncepcionais. O caso delas e de outras mulheres foi retratado emreportagem da Revista Época no início deste mês.

“Sabemos da eficácia do uso de anticoncepcionais como método contraceptivo. No entanto, é necessário atentar para os casos que apresentam efeitos colaterais pelo uso desse tipo de medicamento. Muitas vezes, medidas preventivas simples podem evitar o acometimento de casos como trombofilia, embolia pulmonar, tromboembolismo cerebral, que podem evoluir para quadros e sequelas mais graves, como cegueira, paralisias, tetraplegia, amputação de membros e até a morte”, afirma Gabrilli.

Para debater o tema na audiência, foram convidados o Ministro da Saúde, Arthur Chioro; o presidente da ANVISA, Jaime César de Moura Oliveira; a Ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci; o presidente do Conselho Nacional de Medicina, Carlos Vital Tavares Corrêa Lima; além de vítimas do uso de anticoncepcionais.

O requerimento, que deve ser votado na próxima semana, foi assinado conjuntamente pelas deputadasGeovânia de Sá (SC), Mariana Carvalho (RO), Bruna Furlan (SP), Shéridan (RR) e Mara Gabrilli (SP).

(Da assessoria de deputada Mara Gabrilli/ Foto: Alexssandro Loyola)