ImprensaNotícias

Feminicídio é tema de plenária em Conferência da ONU com participação do PSDB Mulher

A presidente do PSDB-Mulher SP, Nancy Ferruzzi Thame presente à plenária de onde envia relatos de encontros com mulheres e lideranças de diferentes países que discutem os desafios enfrentados para se alcançar a igualdade entre homens e mulheres
A presidente do PSDB-Mulher SP, Nancy Ferruzzi Thame presente à plenária de onde envia relatos de encontros com mulheres e lideranças de diferentes países que discutem os desafios enfrentados para se alcançar a igualdade entre homens e mulheres

A presidente do PSDB-Mulher SP, Nancy Ferruzzi Thame presente à plenária de onde envia relatos de encontros com mulheres e lideranças de diferentes países que discutem os desafios enfrentados para se alcançar a igualdade entre homens e mulheres

O PSDB-Mulher participa da plenária sobre feminicídio que acontece neste momento, em Nova Iorque, na Conferência Mundial da ONU Sobre Mulheres – Beijing 20. O assunto preocupa líderes de todo o mundo, tanto que diferentes países apresentam os seus programas para o enfretamento do problema.

O Brasil, que recentemente teve aprovada a Lei que torna hediondo o assassinato de mulheres por motivo de gênero, tem ainda muito o que avançar. “Os problemas são comuns a todos os países, acontecem nas áreas urbanas e rurais e estão relacionados, sobretudo, à discriminação que parte da ausência de uma educação neste sentido”, conta a presidente do PSDB-Mulher SP, Nancy Ferruzzi Thame presente à plenária. De lá, ela envia relatos de encontros com mulheres e lideranças de diferentes países que discutem os desafios enfrentados para se alcançar a igualdade entre homens e mulheres.

“Os centros urbanos ainda têm mais assistência para as mulheres vítimas de crimes  de gênero, mas na área rural, não.  Falam aqui em atentar para as áreas de maior vulnerabilidade, mas as demandas reaparecem, à medida que se atende a estas. Porém, há um consenso entre os países de que não se pode abandonar esta causa e que o feminicídio tem de desaparecer”, informa a representante brasileira do Secretariado Nacional da Mulher do PSDB.

Ainda sobre esse tema, os países abordam nesta plenária a educação como prioridade para as mulheres também, como forma de prevenção. Quanto menos acesso à informação e à educação, mais vulneráveis ficam pela situação desigual, no sentido social e econômico.