ImprensaNotícias

Câmara aprova pena maior para assassinato de mulheres, Thelma de Oliveira comenta

O requerimento para a realização da audiência foi assinado pelas deputadas Mara Gabrilli (SP), Geovânia de Sá (SC), Mariana Carvalho (RO), Bruna Furlan (SP) e Shéridan (RR)

plenariocamaraBrasília e Maceió – (Atualizado às 17:57) – A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (3) projeto de lei que aumenta a pena para quem matar mulheres por razões de gênero. O texto também prevê pena maior para mortes decorrentes de violência doméstica e para os casos em que a mulher é assassinada estando grávida. A matéria já havia sido aprovada pelo Senado e vai agora à sanção presidencial.

O texto considera a questão de gênero quando o crime envolve violência doméstica e familiar ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher. Pela proposta aprovada, o chamado feminicídio será incluído no Código Penal e passará a ser agravante do crime de homicídio, além de ser classificado como hediondo. A matéria completa você pode ler na edição do site G1, clicando AQUI.

Foto: George Gianni/PSDB

Foto: George Gianni/PSDB

Em Maceió, onde se encontra para a última etapa do curso de Capacitação para Novas Lideranças, em parceria com a Fundação Konrad Adenauer, a vice-presidente do PSDB-Mulher Nacional, Thelma de Oliveira, comentou a notícia: “Uma lei importantíssima, essencial, que infelizmente chega tarde, em um país que sofre um estupro a cada quatro minutos e que acaba de ser classificado como o segundo pior destino turístico do mundo para mulheres que viajam desacompanhadas. É uma grande conquista, claro, mas precisamos avançar cada vez mais”.