ImprensaNotícias

Mulheres do PSDB participam de sabatina da imprensa com Aécio em SP

Aécio Neves e o jornalista Kennedy Alencar em sabatina no Teatro Folha, em SP
Aécio Neves e o jornalista Kennedy Alencar em sabatina no Teatro Folha, em SP

Aécio Neves e o jornalista Kennedy Alencar em sabatina no Teatro Folha, em SP

Nesta quarta-feira (16/07) Aécio Neves, candidato à Presidência da República pela coligação Muda Brasil foi entrevistado pelos jornalistas Ricardo Balthazar (Folha), Josias de Souza (Uol), Kennedy Alencar (SBT) e Patrick Santos (Jovem Pan) na sabatina promovida pela Folha de São Paulo. Aécio respondeu sobre propostas de governo, sobre a campanha eleitoral, economia, saúde e arrancou aplausos de militantes e demais presentes com respostas firmes e objetivas, defendo a transparência.

Na plateia, mulheres que integram o segmento no PSDB São Paulo acompanharam a sabatina, no Teatro Folha, elaboraram perguntas, anotaram ideias e diretrizes apresentadas pelo candidato durante o evento. Elas não só devem ajudar a disseminar essas diretrizes durante a campanha, como participaram com propostas entregues ao senador, em Brasília, em maio último, durante um encontro de presidentes do PSDB Mulher. Aécio recebeu o documento das mãos da presidente Nacional, Solange Jurema e se comprometeu a integrar as diretrizes do segmento ao seu programa de governo. Hoje, o candidato frisou a sua atuação prioritária para reverter a situação econômica do Brasil e disse que a gestão será isenta de intenções subliminares. “Não vou governar de olho nas curvas de popularidade”, respondeu já na abertura sobre ter de adotar as medidas que chamou de necessárias para a retomada do crescimento sustentável, “com a ampliação e melhoria dos nossos indicadores sociais.”

Para a presidente do PSDB Mulher Municipal, Janice Martins, foi esse o ponto alto da sabatina. “Aécio foi certeiro, só se pode crescer, recessão e inflação resultaram das medidas impopulares do atual governo”, comentou.

O candidato também respondeu sobre o programa Mais Médicos, momento em que criticou a forma como este foi estabelecido, Aécio citou que o programa não pode ser considerado a solução para os problemas da saúde pública no País. “Eu compreendo a saúde como uma situação mais ampla do que o Mais Médicos. Por que os médicos cubanos recebem uma remuneração em torno de 20% dos outros? Porque o Brasil se submeteu a esse acordo. Eu não permitirei que haja discriminação com esses médicos. Mas eles serão submetidos a exames como Revalida. O Governo cubano terá que se adaptar à posição brasileira. O governo brasileiro é que banca o governo cubano com a importação desses médicos”, disse.

Fau Barbosa, membro da Executiva Estadual do PSDB Mulher, concorda com o candidato quando ele diz que quer discutir o presente para construir o futuro. “Temos sim que olhar para a frente e seguir o caminho do crescimento”, disse.

Para o candidato ao Senado, José Serra, a sabatina poderia ter aprofundado mais os temas como saúde e educação, que têm na gestão do PSDB experiências de avanços. Estes assuntos ganharam ênfase nas diretrizes do segmento de Mulheres elaboradas para contribuir com os planos de governo nacional e estadual. Na saída do evento, Serra comentou a atuação do Secretariado. “Acho importantíssimo que as mulheres participem mais ativamente, tanto no partido quanto nas eleições, a legenda está muito aberta a isso”, afirmou.
Alberto Goldman concordou. “É uma questão de tempo, porque isso tem de partir da sociedade, da consciência de igualdade para que a mulher, assim como tem sido em diferentes setores, alcance maior participação na política e contribua ainda mais”, opinou o ex-governador.

Serr

A vereadora Valéria Marson, de Franca (SP) achou que Aécio foi muito contundente e se saiu bem na sabatina.

Quando falou de segurança, mais uma vez o candidato apontou a falta de gestão atual e sugeriu a reforma do Código Penal. “O governo do Brasil não trata a segurança como prioridade, investiu só 40% dos recursos nesta área”, informou Aécio.

Para a integrante do PSDB mulher SP e do Tucanafro, Dell Santos, a forma como o candidato  situou as políticas sociais foi assertiva na entrevista. “Ele foi no ponto sobre o Bolsa Família, dizendo que é preciso tirar o programa da agenda eleitoral e fazer desta uma política de Estado”, apoiou.

Programas sociais são, na opinião da candidata Márcia Viviane, importantes e necessárias medidas para a construção de um futuro melhor. “Gostei muito de ter participado deste evento, Aécio nos inspira porque vemos nele o DNA da política que melhora a vida das pessoas”, afirmou. Confira a primeira parte da sabatina aqui.

SONY DSC